Brasileiros defendem semana de trabalho de quatro dias para melhorar qualidade de vida, revela pesquisa do Instituto DataSenado.


Uma pesquisa realizada pelo Instituto DataSenado revelou que sete em cada dez brasileiros acreditam que o governo deveria incentivar as empresas a adotar a semana de trabalho de quatro dias. Segundo o estudo, 73% da população concorda que o governo deveria oferecer incentivos às empresas que adotassem essa medida, visando melhorar a qualidade de vida dos trabalhadores.

Para a maioria dos entrevistados, uma carga horária menor teria um impacto positivo na qualidade de vida dos trabalhadores, principalmente no que diz respeito à saúde mental. A pesquisa apontou que 54% dos brasileiros acreditam nesse benefício, enquanto 34% acreditam que a redução da jornada não faria diferença e 9% acreditam que a situação pioraria.

Por outro lado, quando questionados sobre a possibilidade de reduzir a jornada de trabalho de cinco para quatro dias sem redução de salário, metade dos entrevistados (51%) considerou essa medida benéfica. No entanto, as opiniões se dividem quanto aos possíveis impactos na produtividade: 35% acreditam que a produtividade aumentaria, 21% acham que diminuiria e 40% opinam que não haveria diferença.

A senadora Soraya Thronicke (Podemos-MS) destacou a importância dessa mudança de paradigma e ressaltou que várias empresas já estão adotando essa nova forma de trabalhar em projetos piloto. Ela defendeu a redução de gastos com energia, água e aluguel de prédios como benefícios adicionais para as empresas.

Com base nos resultados da pesquisa, a senadora apresentou o projeto de lei PRS 15/2024, que propõe instituir o Diploma Empresa Ideal para premiar as empresas que se comprometerem com a qualidade de vida dos funcionários. Entre os critérios para receber a premiação estão a redução da jornada de trabalho semanal com a manutenção dos salários, o respeito às normas de proteção do mercado de trabalho e o estímulo ao teletrabalho.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!



Botão Voltar ao topo