Bolsista da Fapeal conquista capa de revista alemã com estudo sobre complexos de platina: avanços e desafios na ciência


A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal) está em festa por uma conquista significativa no campo da ciência e da tecnologia. A bolsista do Programa de Iniciação Científica (Pibic), Gabriela Monteiro, e seu orientador, o professor Júlio Silva, da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), foram destaque na renomada revista científica alemã Wiley-VCH, com um artigo sobre complexos de platina.

O trabalho, intitulado ‘Explorando o conceito de efeito trans em complexos de Platina (Pt II) através da teoria quântica dos átomos em moléculas e perspectivas do modelo de sobreposição de ligação química’, foi publicado em maio deste ano. Ele se destaca por investigar fenômenos atômico-moleculares cruciais para o desenvolvimento de novos fármacos.

Os Complexos de Platina (II) são objetos de grande interesse em pesquisas químicas devido ao seu potencial anticancerígeno. A cisplatina, por exemplo, é um fármaco amplamente utilizado no tratamento de alguns tipos de câncer. No entanto, seu uso é limitado devido a uma série de efeitos colaterais nos pacientes.

Orientador e bolsista destacam a importância de entender como os compostos de platina atingem os alvos biológicos desejados, considerando a complexidade da matriz biológica e o papel fundamental da água nessas transformações químicas.

Alcançar a capa de uma revista internacional é um desafio enorme, segundo o orientador. Competindo com grandes centros de pesquisa internacionais, os pesquisadores brasileiros enfrentam dificuldades de infraestrutura, apesar dos avanços realizados. A conquista, além de representar um marco para a ciência brasileira, também destaca a capacidade de pensar e produzir pesquisa de qualidade em nossa região.

Gabriela Monteiro expressa sua satisfação por essa conquista em seu primeiro artigo científico, ressaltando a importância do projeto e a motivação para contribuir mais para a ciência. O desafio da infraestrutura também é mencionado, com a necessidade de investimentos contínuos para apoiar estudos de qualidade.

O Programa de Iniciação Científica, citado como uma política pública bem-sucedida, foi fundamental no desenvolvimento de Gabriela e preparação para a pós-graduação. A experiência de fazer ciência e interagir com outros pesquisadores contribui não apenas para o conhecimento acadêmico, mas também para o desenvolvimento pessoal dos estudantes envolvidos.

Portanto, a conquista de Gabriela Monteiro e do professor Júlio Silva na revista alemã é um reconhecimento do potencial da ciência brasileira e do talento dos pesquisadores e estudantes envolvidos. Espera-se que esse sucesso inspire novas pesquisas e investimentos na área, para que mais conquistas como essa possam ser alcançadas no futuro.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!



Botão Voltar ao topo