Balneário Camboriú lidera o ranking de imóveis residenciais mais caros por metro quadrado.

 

De acordo com o ranking de julho deste ano elaborado pela FipeZAP+, Balneário Camboriú, em Santa Catarina, ocupa o primeiro lugar como a cidade com o maior preço por metro quadrado entre os imóveis residenciais no Brasil. Com um preço médio de R$ 12.335 por metro quadrado, a cidade lidera a lista, deixando para trás São Paulo e Rio de Janeiro, que ocupam a quarta e sexta posição, respectivamente.

Especialistas apontam que o desenvolvimento da região, aliado à facilidade de acesso e à alta procura por apartamentos, são os principais fatores que contribuem para o alto preço dos imóveis em Balneário Camboriú. A cidade é conhecida como destino turístico, atraindo famosos como Neymar, o que aumenta ainda mais a demanda por residências na região.

Fernando de Mello Franco, professor da FAU Mackenzie e ex-secretário Municipal de Planejamento Urbano de São Paulo, explica que os preços elevados não se devem ao déficit habitacional, mas sim à disputa pela localização privilegiada próxima à praia e à paisagem deslumbrante. Segundo ele, o valor dos imóveis não é determinado apenas pelo preço do concreto, mas principalmente pela localização.

No mercado imobiliário de Balneário Camboriú, a construtora FG Empreendimentos se destaca. Recentemente, a empresa lançou um comercial estrelado pelo jogador de futebol português Cristiano Ronaldo, com o objetivo de atrair clientes internacionais para o empreendimento One Tower. O edifício, lançado no ano passado, é atualmente o mais alto da América Latina, com 290 metros de altura e 84 andares. Cada apartamento foi vendido por cerca de R$ 15 milhões, mas a empresa possui imóveis à venda por até R$ 65 milhões.

Além de Balneário Camboriú, outras cidades como Itapema, em Santa Catarina, e Vitória, no Espírito Santo, também se destacam no ranking. Em Itapema, é possível encontrar unidades de frente para o mar por R$ 5 milhões, enquanto em Vitória, uma cobertura em um edifício de luxo também sai por R$ 5 milhões.

O presidente da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), Luiz França, aponta que cidades com maior desenvolvimento econômico tendem a valorizar o metro quadrado dos imóveis, devido à geração de empregos e oportunidades. Para ele, o investimento em imóveis é uma opção segura e rentável, especialmente diante da queda de juros no país.

No entanto, especialistas divergem sobre o impacto do aumento da oferta de imóveis nessas cidades. Enquanto alguns acreditam que a produção imobiliária pode reduzir os preços, outros defendem que a valorização das áreas atrai investidores e impulsiona ainda mais os preços.

Com o cenário de redução da taxa de juros, espera-se que os preços dos imóveis se mantenham estáveis nos próximos meses. Apesar disso, é importante ressaltar que o mercado imobiliário é dinâmico e pode sofrer variações ao longo do tempo.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo