Ativista e jornalista americano se retrata sobre suposta ameaça de processo do ministro Alexandre de Moraes do STF.


O renomado ativista e jornalista norte-americano Michael Shellenberger causou polêmica ao publicar informações incorretas em suas redes sociais, envolvendo o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF). No entanto, nesta quinta-feira, 11, ele admitiu publicamente que não possui provas de que Moraes tenha ameaçado processar criminalmente o advogado brasileiro do Twitter.

Após ser corrigido pela advogada Estela Aranha, que classificou a narrativa como uma “belo história sem base fática”, Shellenberger fez uma retratação. Ele utilizou documentos vazados por Elon Musk, os chamados “Twitter Files”, para embasar sua denúncia, mas acabou distorcendo o conteúdo ao afirmar que o ministro exigiu informações privadas e pessoais do advogado da plataforma no Brasil.

No entanto, foi esclarecido que as mensagens mencionadas por Shellenberger não tinham relação com Moraes ou o STF, e sim com uma solicitação do Ministério Público de São Paulo para obter dados cadastrais de usuários do Twitter em uma ação contra o Primeiro Comando da Capital (PCC). Diante do equívoco, o ativista reconheceu sua falha e pediu desculpas publicamente.

“No texto acima eu inadvertidamente misturei a exigência de Moraes de desmascarar as identidades das pessoas que usaram essas hashtags com casos diferentes. Lamento o erro e peço desculpas pelo meu equívoco”, declarou Shellenberger em sua retratação.

É importante ressaltar a importância da veracidade das informações veiculadas, principalmente quando se trata de personalidades públicas e autoridades. A repercussão causada pelas publicações errôneas de Shellenberger demonstra a responsabilidade que os jornalistas e ativistas possuem ao disseminar notícias em plataformas digitais.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!



Botão Voltar ao topo