ARAPIRACA – Programação especial conscientiza população sobre tuberculose em Arapiraca durante o mês de março


A tuberculose é uma das infecções mais mortais do mundo e está diretamente relacionada a fatores sociais, como condições precárias de vida. De acordo com especialistas, existem grupos mais vulneráveis à doença, como pessoas privadas de liberdade, portadores de HIV e moradores de rua.

Em Arapiraca, a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, dedicou o mês de março para promover diversas ações de conscientização sobre a tuberculose. Essas ações foram realizadas em homenagem ao Dia Internacional de Combate à Tuberculose, celebrado em 24 de março. A programação incluiu aulas e palestras em escolas locais, na Universidade Federal de Alagoas (UFAL) e em instituições como o Caps AD e o Lar Semear. O encerramento ocorreu no Instituto Teodora Albuquerque (ITA).

Durante o evento de encerramento, os participantes receberam palestras e serviços de combate e prevenção da tuberculose, incluindo a coleta de exame para baciloscopia em pacientes com sintomas suspeitos. A ação foi realizada em parceria entre a Coordenadoria Municipal de Controle da Tuberculose e Hanseníase, o CRIA e a equipe de profissionais do ITA.

A enfermeira Edimeire Maurício enfatizou a importância das ações do poder público dentro da instituição e agradeceu à Secretaria pela parceria. Ela ressaltou a necessidade de apoio às pessoas marginalizadas que muitas vezes são desprezadas pela sociedade e até pela família.

A prevenção da tuberculose inclui a vacina BCG, disponível no SUS, que deve ser aplicada em crianças desde o nascimento até os 4 anos de idade. Além disso, medidas simples como manter ambientes ventilados e com luz solar, evitar aglomerações e proteger a boca ao tossir e espirrar são essenciais para prevenir a doença.

Os sintomas da tuberculose incluem tosse persistente por mais de três semanas, cansaço excessivo, febre, suores noturnos, perda de apetite, emagrecimento e rouquidão. Caso haja suspeita de infecção, é fundamental procurar uma Unidade Básica de Saúde para realizar o tratamento adequado.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!



Botão Voltar ao topo