Alta das ações de IA nos EUA drena liquidez de mercados em desenvolvimento, alerta fundador do BTG Pactual em evento no Chile.


O bilionário fundador do BTG Pactual, André Esteves, levantou preocupações sobre o impacto da alta implacável das ações de empresas de inteligência artificial nos EUA nos mercados de capitais dos países em desenvolvimento. Em um evento realizado em Santiago, no Chile, Esteves destacou que a ascensão do Vale do Silício como o novo epicentro do crescimento e da inovação está desviando a liquidez dos mercados emergentes.

A valorização expressiva de empresas americanas de tecnologia, como Nvidia, Apple, Microsoft, Amazon, Meta e Alphabet, tem atraído investidores globais em busca de retornos atraentes. Essas companhias, conhecidas como os “Magnificent Seven”, impulsionaram o índice S&P 500 a novas máximas, enquanto as ações de mercados emergentes têm enfrentado dificuldades, sendo negociadas em seu menor nível histórico em relação ao S&P 500.

Dados compilados pela Bloomberg revelam que as ações de mercados emergentes sofreram uma queda de 23% nos últimos três anos, em contraste com o ganho de 15% do índice MSCI ACWI. Este cenário tem impactado diretamente a plataforma digital do BTG, que tem observado uma alta demanda por ações de empresas americanas de tecnologia, como Apple e Nvidia, por parte dos investidores latino-americanos.

Apesar da recente preferência dos investidores por ações europeias e de mercados emergentes, em detrimento das ações americanas de tecnologia, alguns analistas acreditam que os fluxos de investimento em ações emergentes só irão ganhar tração quando houver mais clareza sobre os planos do Federal Reserve em relação aos cortes de juros. Enquanto isso, o ritmo acelerado do rali das ações de inteligência artificial nos EUA continua afetando o cenário global dos mercados de capitais.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!



Botão Voltar ao topo