ALAGOAS – Vigilância Sanitária orienta sobre cuidados ao comprar pescado na Semana Santa para evitar intoxicações alimentares.


Na última terça-feira, dia 26 de março de 2024, a Vigilância Sanitária Estadual divulgou importantes orientações para garantir a segurança na compra de pescados, mariscos e crustáceos durante a Semana Santa. Com a proximidade da data, a demanda por esses produtos tende a aumentar, tornando fundamental a atenção redobrada dos consumidores na hora da aquisição.

De acordo com o gerente da Vigilância Sanitária Estadual, Paulo Bezerra, é essencial que os consumidores observem aspectos cruciais na escolha dos alimentos, a fim de evitar problemas de saúde. Durante esse período, a qualidade dos produtos disponíveis nos supermercados, mercados públicos e feiras livres deve ser criteriosamente avaliada, com foco especial na frescura e integridade dos mesmos.

No caso do pescado, Paulo Bezerra ressalta a importância de verificar a saliência e translucidez dos olhos, a cor avermelhada das guelras, a textura da pele e a aderência das escamas, que não devem se soltar facilmente. Caso algum desses aspectos não esteja de acordo com as recomendações, é aconselhável acionar a Vigilância Sanitária Municipal.

Para os mariscos e crustáceos, como camarão, sururu e maçunim, o cuidado não é diferente. Bezerra destaca a importância de observar a textura dos alimentos ao apertá-los levemente e identificar qualquer sinal de decomposição, como esmagamento ou cor alterada. Além disso, é fundamental atentar para a presença de manchas ou cores intensas, que podem indicar aditivos inadequados.

Outro ponto abordado pelo gerente é o descongelamento dos alimentos previamente congelados. Nesse caso, é recomendado retirar os produtos do freezer e realizar o processo de descongelamento de forma uniforme, na geladeira, evitando repetidas variações de temperatura que podem comprometer a qualidade e segurança alimentar.

Dessa forma, ao seguir as orientações da Vigilância Sanitária Estadual, os consumidores podem desfrutar da Semana Santa sem preocupações com intoxicações alimentares, garantindo uma celebração segura e saudável para todos.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!



Botão Voltar ao topo