ALAGOAS – “Seprev alerta para perigos do crack e destaca Dia Estadual de Prevenção e Enfrentamento da droga em Alagoas”


No próximo dia 30 de setembro, é comemorado em Alagoas o Dia Estadual de Prevenção e Enfrentamento ao Crack. Essa data foi instituída pelo Governo do Estado por meio da Lei nº 7.459, com o objetivo de conscientizar a população sobre os perigos do consumo e da comercialização dessa droga, além de promover ações de prevenção e combate à dependência química.

De acordo com dados da Secretaria de Estado de Prevenção da Violência (Seprev), de janeiro até setembro deste ano, foram realizados 4.408 encaminhamentos de pessoas dependentes químicas para comunidades terapêuticas credenciadas à Rede Acolhe. Dentre esses casos, quase 50% estavam relacionados ao uso do crack.

Lideilma Alves, superintendente de Políticas sobre Drogas da Seprev, alerta para o fato de que o uso do crack pode evoluir para uma dependência que se configura como um problema de saúde pública. Ela enfatiza as ações do Governo do Estado para enfrentar essa questão e destaca a vulnerabilidade de crianças e adolescentes.

O crescimento do uso do crack tem se tornado um problema de grande abrangência, por isso é fundamental unir esforços para combatê-lo. Em Alagoas, o poder público tem realizado ações voltadas para a conscientização da população sobre o tema, além de promover atividades esportivas, culturais e artísticas. Essas ações são direcionadas a toda a população, mas com maior atenção ao público infanto-adolescente, que é mais vulnerável ao contato com a droga.

O crack possui diversos efeitos nocivos no organismo, como taquicardia, convulsões, espasmos musculares e danos aos órgãos vitais, como coração, rins, fígado e cérebro. Além disso, o uso dessa substância pode causar problemas na saúde mental do usuário, como ansiedade, paranoias, desorientação e comportamentos agressivos.

Através da Rede Acolhe, o Governo do Estado proporciona tratamento para pessoas que desejam vencer a dependência química do crack e outras drogas. São 33 comunidades terapêuticas acolhedoras, onde os dependentes químicos recebem acompanhamento de uma equipe multiprofissional durante todo o processo de recuperação.

Um exemplo de sucesso desse programa é o caso de Walter da Silva Santos, de 55 anos. Ele perdeu tudo devido ao crack, chegando a morar na rua e dependendo da ajuda do governo e de instituições filantrópicas para sobreviver. Porém, após ser convidado para o tratamento e ser acolhido pela comunidade terapêutica, Walter conseguiu se recuperar e hoje está completamente livre do vício.

Após concluir o tratamento, Walter ingressou em um curso profissionalizante de manutenção de ar condicionados oferecido pelo Estado em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai). Ele destaca a importância dessas oportunidades para a transformação e reinserção social dos dependentes químicos.

O Dia Estadual de Prevenção e Enfrentamento ao Crack em Alagoas busca, portanto, conscientizar a população sobre os perigos dessa droga e combater a dependência química. Através da Rede Acolhe, o governo oferece tratamento e oportunidades de recuperação para aqueles que desejam abandonar o vício e reconstruir suas vidas. É uma luta diária, mas que pode trazer resultados positivos e transformar a vida de muitas pessoas.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!



Botão Voltar ao topo