ALAGOAS – Presidente da Fapeal discute financiamento à ciência, tecnologia e inovação em conferência realizada em Recife

Em Recife, capital de Pernambuco, o professor Fábio Guedes, diretor-presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal), participou da Conferência Livre: Incentivo à Produção Científica nas Universidades e Institutos Federais. O evento teve início na quinta-feira (11) e encerrou nesta sexta-feira (12), com discussões sobre o financiamento à ciência, tecnologia e inovação no Brasil.

Durante a conferência, Fábio Guedes abordou diversos temas relacionados aos investimentos necessários para o desenvolvimento das pesquisas no país. Ele destacou a importância de garantir recursos para que o Brasil possa investir em pesquisa e desenvolvimento nacional, ressaltando a necessidade de novos instrumentos no âmbito do sistema de Ciência, Tecnologia e Inovação (CT&I).

O presidente da Fapeal também enfatizou a importância de repensar o modelo de financiamento à ciência e tecnologia, evidenciando a necessidade de planejamento estratégico para garantir o avanço nesse setor. Ele alertou que o país enfrenta desafios quanto ao investimento em pesquisa e desenvolvimento, o que impacta diretamente na produtividade econômica.

Durante sua apresentação, Fábio Guedes ressaltou a importância de uma conexão mais estreita entre as universidades e os projetos de desenvolvimento nacional, questionando a adequação da estrutura institucional universitária para os desafios do Século XXI. Além disso, ele defendeu uma maior integração entre os mecanismos de financiamento federais e estaduais, destacando a importância das fundações de amparo à pesquisa.

O debate sobre o financiamento à ciência, tecnologia e inovação ganha destaque em eventos como a Conferência Livre em Recife, refletindo a importância estratégica desses investimentos para o desenvolvimento do país. A participação do presidente da Fapeal nesse evento evidencia a preocupação e o compromisso com o avanço da pesquisa e do desenvolvimento tecnológico no Brasil.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo