ALAGOAS – Instituto de Criminalística de Maceió realiza mutirão de balística forense para análise de mais de 2.500 armas de fogo


No último dia 13 de junho, o Instituto de Criminalística de Maceió, ligado à Polícia Científica de Alagoas, deu início ao segundo mutirão de exames balísticos. A ação, que conta com a participação de uma equipe formada por peritos criminais experientes, tem como objetivo analisar uma grande quantidade de armas de fogo ao longo de dois meses.

Essa iniciativa, organizada pela chefia de periciais internas do órgão, é crucial para as investigações criminais, uma vez que ajuda a determinar a origem das armas de fogo envolvidas em crimes, identificar padrões de disparos e estabelecer conexões entre diferentes crimes. Além dos peritos especializados na área de balística, também estão envolvidos peritos criminais e auxiliares de perícias recém-empossados.

O projeto prevê a realização de oito mutirões, todas as quintas-feiras, durante os meses de junho e julho. A intenção é reduzir o passivo de exames pendentes e capacitar os novos servidores do Instituto de Criminalística na área de balística forense. Esses mutirões refletem o compromisso da Polícia Científica de Alagoas em utilizar a ciência forense de forma eficaz no combate ao crime e busca pela justiça.

Ao término desses mutirões, é esperado que aproximadamente 1.620 armas sejam periciadas, resultando na mesma quantidade de laudos de eficiência de arma curta. Além disso, estão sendo realizados cerca de 1.000 exames de detecção de sangue humano nessas armas, que serão analisados no Laboratório de Genética Forense.

Essa iniciativa reforça a importância da investigação forense na resolução de crimes e na busca pela verdade, demonstrando o comprometimento das autoridades de Alagoas com a segurança e a justiça para a população.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!



Botão Voltar ao topo