Aftosa: Alagoas se aproxima do status de zona livre sem vacinação


Com um dos melhores índices de cobertura vacinal do país, o caminho para a conquista do status sanitário de zona livre da febre aftosa sem vacinação vem sendo trilhado pelo Governo do Estado. Neste sentido, a partir do dia 1° de maio, a Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas (Adeal) realiza, de 1° a 31 de maio, a primeira etapa da campanha de vacinação de 2022. A meta é imunizar 100% do rebanho alagoano, composto por mais de 1,2 milhão de animais.

Após vacinar, o criador tem até o dia 15 de junho para fazer a declaração obrigatória nos escritórios da Adeal. Com o documento, ele comprova oficialmente que os animais foram devidamente imunizados.

 

“O produtor alagoano tem sido um grande parceiro da Adeal e de todo o sistema de controle sanitário do Ministério da Agricultura e do Governo do Estado no sentido de cumprir com a obrigação de imunizar o rebanho. Temos alcançado índices importantes e superiores a 96% de cobertura vacinal, o que leva Alagoas a trilhar no caminho para a zona livre da febre aftosa sem vacinação. Essa mudança de status deverá ocorrer em 2024”, declarou o presidente da Adeal, José Márcio Maia.

A Adeal alerta ainda que o criador que não vacinar o rebanho fica impedido de retirar a Guia de Trânsito Animal (GTA), estando impossibilitado de circular e comercializar os animais, além de estar sujeito a penalidades previstas na lei, a exemplo do pagamento de multa.

No caso da não vacinação, o valor de multa a ser pago corresponde a dez Unidades Padrão Fiscal do Estado de Alagoas (UPFAL) e da não declaração a 30 UPFAL.

2021

No ano passado, quando o rebanho também era formado por mais 1,2 milhão de animais, a primeira etapa contou com uma cobertura vacinal de 96,3%. Na segunda etapa, realizada no mês de novembro e restrita a bovídeos com até dois anos de vida, o índice vacinal foi de 97,4%. Segundo o levantamento técnico da Adeal, de um rebanho de 511 mil indivíduos, foram imunizados 488 mil bovídeos.

A segunda etapa da campanha, que teve início em 1° de novembro, diante da falta de doses de vacinas nas lojas de revenda de produtos agropecuários, foi prorrogada por duas vezes pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), sendo finalizada no dia 31 de dezembro. Com isso, o prazo para a declaração da vacinação foi encerrado no dia 31 de janeiro passado.

A febre aftosa causa grandes perdas econômicas com a redução de produtividade dos rebanhos, além de afetar o comércio interno e, principalmente, as exportações. Atualmente, o Estado de Alagoas encontra-se com o status sanitário de zona livre de febre aftosa com vacinação.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!



Botão Voltar ao topo