A morte violenta de um indivíduo em Craíbas, AL, está sendo investigada pelas autoridades da Polícia Civil.

A Polícia Civil, através da Delegacia do 62º Distrito Policial (62º DP) de Craíbas, sob a liderança do delegado Manoel Acácio, anunciou que estava investigando o suposto desaparecimento de Marcone da Silva Santos, de 33 anos, desde o último sábado (19). O homem havia saído de casa de bicicleta, informando aos familiares que iria encontrar amigos. No entanto, a bicicleta foi localizada na mesma noite de sábado, enquanto o corpo foi encontrado na quarta-feira (23), em estado avançado de decomposição, em uma região rural próxima a Craíbas, no Agreste de Alagoas.

De acordo com as informações fornecidas pela polícia, o corpo apresentava marcas de tiros na nuca, indicando um possível caso de execução. Portanto, desde o desaparecimento de Marcone, a Polícia Civil estava conduzindo uma investigação que agora passa a ser tratada como homicídio qualificado, devido às circunstâncias em que o crime foi cometido. A vítima foi perseguida e morta por dois homens que estavam em uma motocicleta. Eles abordaram Marcone com disparos de arma de fogo no campo da Rua do Açude, na cidade de Craíbas. Mesmo conseguindo fugir inicialmente, ele foi alcançado e morto pelos criminosos em uma região de matagal.

Um vídeo foi divulgado mostrando Marcone da Silva correndo em meio às plantações, na tentativa desesperada de escapar dos assassinos. No domingo (20), três dias antes do corpo ser encontrado, a mãe de Marcone recebeu uma foto do filho já morto. O remetente não se identificou, mas a polícia conseguiu descobrir a origem através do número de telefone utilizado no WhatsApp.

Segundo o agente Paulo César, chefe de cartório do 62º DP, Marcone estava sendo investigado por seu envolvimento em outros crimes recentes ocorridos na cidade de Craíbas. Entre as acusações estão tráfico de drogas, associação para o tráfico, associação criminosa armada, porte ilegal de arma de fogo, disparo de arma de fogo em via pública, espancamento, ameaças, tentativa de homicídio e até homicídio consumado. Todos esses crimes aconteceram nas últimas semanas no município.

A Polícia Civil já possui alguns nomes de suspeitos pelo homicídio de Marcone, mas por enquanto não irá divulgá-los para evitar prejudicar o andamento das investigações em andamento na Unidade Policial.

O delegado Manoel Acácio Júnior faz um apelo à população para que continue denunciando através do número 181, serviço de disque denúncia da Superintendência de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública do Estado de Alagoas. Todas as denúncias são rigorosamente investigadas e contribuem para a solução de diversos crimes, além de ajudar na localização de foragidos da Justiça.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!




Botão Voltar ao topo