Colisão de trens deixa pelo menos 57 feridos em Buenos Aires, Argentina; autoridades investigam causas do acidente.


Na manhã desta sexta-feira, em Buenos Aires, Argentina, pelo menos 57 pessoas precisaram de atendimento hospitalar após uma colisão entre trens. Segundo as autoridades do serviço de emergência da cidade, duas pessoas tiveram ferimentos graves. O acidente ocorreu por volta das 10h30 no bairro de Palermo, quando um trem urbano da linha ferroviária General San Martín se chocou com outro trenó de manutenção que estava parado, ainda não se sabe ao certo o motivo.

No local, Alberto Crescenti, responsável pelo Same, informou à imprensa que cães foram utilizados para buscar vítimas nos vagões, e cerca de 90 passageiros foram atendidos, sendo que 30 deles precisaram ser transferidos para hospitais. Dois pacientes, com traumatismo craniano, foram evacuados de helicóptero. Mais tarde, a Secretaria de Saúde de Buenos Aires confirmou que o número de hospitalizados foi de 57.

Todas as pessoas feridas já foram liberadas, com exceção de um paciente que passou por cirurgia devido ao trauma craniano. O prefeito da cidade, Jorge Macri, afirmou que ainda não há informações suficientes sobre como o acidente aconteceu. O esquema de evacuação contou com a participação de cerca de 60 ambulâncias, seis motos e dois helicópteros.

Uma das possíveis causas do acidente é uma falha no sistema de sinalização elétrica. O roubo de cabos de alta tensão para venda do cobre, uma prática comum na Argentina, está sendo investigado como uma das hipóteses. O sindicato dos maquinistas de trem denunciou a situação precária da empresa estatal Trenes Argentinos, com falta de investimentos em manutenção e reposição de peças.

Este acidente relembra o trágico evento de 2012, quando um trem que entrava na estação Once não conseguiu frear, resultando na morte de 52 pessoas e ferimentos em centenas. Ainda há muito a ser esclarecido sobre a colisão de trens em Buenos Aires, mas as autoridades locais estão empenhadas em investigar e garantir a segurança dos passageiros que utilizam o transporte ferroviário na cidade.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!



Botão Voltar ao topo