ALAGOAS – “Operação Shamar combate crimes contra mulheres em Alagoas, com apoio de 140 policiais e parceria da Secretaria Estadual da Mulher”


No dia 14 de setembro de 2023, a Secretaria de Estado da Segurança Pública coordenou a Operação Shamar em Alagoas. A ação, que tem como objetivo combater o feminicídio e a violência doméstica e familiar, contou com a participação das Polícias Civil e Militar, além do apoio da Secretaria Estadual da Mulher e dos Direitos Humanos.

Desde as primeiras horas da manhã, as forças policiais cumpriram mandados de prisão contra autores de violência de gênero em Maceió e Região Metropolitana. Ao todo, cerca de 140 policiais alagoanos participaram do Dia “D” da operação, que teve início no último dia 21 de agosto em todo o Brasil.

A operação é promovida pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, por meio da Diretoria de Operações Integradas e de Inteligência da Secretaria Nacional de Segurança Pública. Durante o período da ação, foram realizadas tanto ações repressivas quanto preventivas. Dezenas de denúncias de violência contra mulheres recebidas pelo Disque-denúncia, o 181, e pela Central de Atendimento à Mulher, através do 180, foram averiguadas na capital e no interior.

Além das investigações, também foram promovidas palestras de conscientização e distribuição de panfletos nas principais cidades do estado, como Maceió, Arapiraca, Palmeira dos Índios, Rio Largo, Delmiro Gouveia, Penedo e Maragogi.

A Operação Shamar recebeu esse nome devido à origem hebraica da palavra, que significa ato de cuidar, guardar, zelar, vigiar ou proteger. O objetivo da operação é conscientizar a sociedade quanto à prevenção da violência contra a mulher, por meio de mobilização social e instituição de medidas para coibir todas as formas de violência.

A ação nacional conta com o apoio do Ministério das Mulheres e do Colégio de Coordenadores das Mulheres em Situação de Violência Doméstica e Familiar dos Tribunais de Justiça Estaduais.

É importante ressaltar que a Operação Shamar é fundamental para a proteção das mulheres e para a garantia de seus direitos. A violência de gênero ainda é uma realidade alarmante em todo o país, e ações como essa são essenciais para combater esse problema e promover a igualdade e a segurança para todas as mulheres.

Jornal Rede Repórter - Click e confira!



Botão Voltar ao topo